sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Efeito sanfona, você sabe o que é isso?

Muitos certamente já ouviram falar no termo 'efeito sanfona'. O famoso engorda-emagrece-engorda... ocorre quando há emagrecimento e ganho de peso consideráveis em curtos intervalos. O que talvez não se saiba é que ele é bastante prejudicial à saúde. A pele, por exemplo, sofre muito com este processo, uma vez que a distensão e a recuperação da forma esticada pode causar estrias, dificuldades de circulação e um aspecto de envelhecimento precoce. Além disso, perder peso sem orientação adequada pode levar o organismo à deficiência severa de nutrientes e estacionar definitivamente o emagrecimento, uma vez que o metabolismo é todo alterado.

É muito comum as pessoas passarem anos fazendo dietas malucas que viram em revista, na internet ou que a amiga ou a vizinha indicou, até perdem alguns quilos, mas ao voltarem a comer da mesma forma como faziam antes, em pouco tempo recuperam todo o peso ou ganham mais.

Por que isso acontece?


Existem diversos mecanismos fisiológicos que o corpo utiliza para manter o peso. Emagrecer muito em pouco tempo é uma agressão para o organismo, que tenta se defender, reduzindo o gasto energético
e estocando o máximo de energia que puder para voltar ao peso anterior.

As células gordurosas produzem leptina, hormônio que informa ao cérebro que os estoques de gordura estão preenchidos. Quando há uma perda de peso significativa, os níveis de leptina diminuem e o cérebro entende que é preciso comer mais para repor a quantidade de gordura no organismo.

Nas dietas radicais o estômago também produz mais grelina, hormônio que estimula a fome.

É preciso ter orientação especializada quando se pretende iniciar uma reeducação alimentar com o objetivo  de emagrecer, pois mesmo após ter começado este processo, o corpo precisa de um tempo para se acostumar com o novo peso: em média um mês para cada quilo eliminado. O peso muitas vezes se estabiliza, mas após a adaptação, o emagrecimento continua a acontecer. Por isso, é preciso ter paciência e entender que emagrecimento é um processo gradativo e que, portanto, leva tempo. O mais importante é preservar ou recuperar a saúde, transformando hábitos, atitudes, pensamentos e sentimentos em relação à comida, pois só assim os resultados serão duradouros.

Também é importante lembrar: perder peso simplesmente não é igual a emagrecer. com dietas radicais perdem-se líquidos e massa muscular, principalmente, e não gordura.

Algumas dicas para manter o metabolismo mais ativo:

1) A alimentação deve ser variada. A monotonia pode levar à deficiência de nutrientes, o que atrapalhar a aceleração do metabolismo;
2) Varie o máximo que puder o consumo de frutas, verduras e legumes durante a semana: eles levam vitaminas essenciais que regulam todo o metabolismo e as reações de queima de energia;
3) Beba água. Ela é fundamental para o organismo. Diminuir a ingestão de água provoca a redução da eficiência da queima de gordura;
4) Durma bem e o suficiente todos os dias. Um bom sono auxilia o organismo a queimar gordura, pois regula a produção e o funcionamento de vários hormônios;
5) Modifique a forma de fazer exercícios: a monotonia no estímulo físico atrasa a queima de gordura;
6) Troque refrigerantes por sucos ou água. O excesso destas bebidas ajuda a reduzir o cálcio do organismo e este mineral é importante para o emagrecimento;
7) Controle os níveis de estresse, pois ele causa alterações hormonais ligadas ao ganho de gordura e de peso como um todo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário