quinta-feira, 21 de abril de 2011

Padrões de beleza ao longo da história

O padrão de beleza vigente é fator determinante na aceitação ou rejeição de certas características físicas por parte das mulheres, principalmente. Fortemente presente nas sociedades, ele sofreu grandes mudanças nos últimos tempos.

Até os séculos XVIII e XIX, um corpo largo, curvilíneo e com mais gordura era sinônimo de fertilidade e de boa saúde. O papel da mulher era ser mãe: era então necessário ter saúde para reproduzir. 



As três graças - Rubens - séc. XVII
 

Primeira metade do século XX

Com o impacto econômico das duas grandes guerras mundiais,
a mulher teve de tomar lugar na indústria, em substituição aos homens ausentes.

Surge a figura da mulher produtiva, financeira e sexualmente independente,
como resultado da I Guerra Mundial, onde perderam seus maridos.


A partir disso, ocorre a primeira grande mudança no padrão de beleza
do século XX: novas vestimentas e costumes aparecem como liberdade de expressão.

A partir da década de 30 

Surge a idéia de que a beleza é algo mutável, que se pode produzir e conquistar. Nesta época, cremes e dietas já se popularizam.

Décadas de 60 e 70

Com as revoluções estudantis e movimentos feministas, o padrão de beleza começa a mudar: a magreza é cada vez mais valorizada. “Fazer dieta” já faz parte das preocupações e práticas da mulher desta época. Entretanto, nos Estados Unidos, da década de 70 para a de 90, a prevalência de obesidade só foi aumentando.



Cindy Crawford
Décadas de 80 e 90

              As “manequins” passam a ser chamadas de “modelos”, termo que impõe certo impacto sobre as mulheres, o que determina um padrão a seguir. As supermodelos são consideradas divinas, famosas, ricas e felizes.











Um comentário:

  1. Obrigada!Ajudou em um trabalho meu!Alem de ser super interresante , acredito tirar uma boa nota, pois me baseiee mais neste blog do que os outros 2 sites que pesquisei!

    ResponderExcluir